Fevereiro 2021
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

Arquivo

Time Of Your Life

 

Good Riddance (Time Of Your Life)

Another turning point, a fork stuck in the road
Time grabs you by the wrist, directs you where to go
So make the best of this test and don’t ask why
It’s not a question, but a lesson learned in time

It’s something unpredictable, but in the end it’s right.
I hope you had the time of your life.

So take the photographs and still frames in your mind
Hang it on a shelf in good health and good time
Tattoos of memories and dead skin on trial
For what it’s worth it was worth all the while

It’s something unpredictable, but in the end it’s right.
I hope you had the time of your life.

It’s something unpredictable, but in the end it’s right.
I hope you had the time of your life.

It’s something unpredictable, but in the end it’s right.
I hope you had the time of your life.

 

Começo por pedir desculpa pela ousadia, mas não posso deixar de usar este vosso espaço para exprimir o nosso agradecimento a todos os alunos do 12.º ano que agora partem para uma nova etapa das suas vidas.

A todos vós, o nosso maior agradecimento pela vossa contribuição na divulgação da «escola mais “COOL” do mundo (quiçá da Europa!)», pelos testemunhos e pelas várias iniciativas que, ao longo dos anos, têm honrado a NOSSA Escola.

Agora, que vão partir para outros voos…, a Escola deixa-vos mais um desafio:

http://blogs.ess-edu.pt/TimeOfYourLife/

 

Até sempre!

A Escola da Sé

António Amaral

Até sempre…

É este o último testemunho dado no nosso blog. Foi um prazer ter escrito para vocês!

 

Como refere Fernando Pessoa ” O importante não é chegar é partir”.

 

E nós chegámos à meta, mas vamos partir para outros voos…

 

A turma A do 12º Ano

Vitória feminina

Como queríamos terminar o ano em grande, não podemos deixar de publicar uma notícia que nos deixa, deveras orgulhosos.

Visto que os rapazes não conseguiram os resultados desejados, pusemos todas as nossas esperanças na “nossa” equipa feminina, “As da SÉcundária”.

Os nossos avós sempre nos disseram: “A esperança é sempre a última a morrer!”, e neste caso não morreu mesmo. As nossas previsões concretizaram-se e as “nossas” meninas espalharam imensa magia durante o jogo, acabando por ganhar esta grande final, por uma bola a zero.

Foi a nossa capitã, a Cristina, que deu o exemplo, marcando um golo fenomenal, dedicando-o a todos os apoiantes.

Apesar de ser uma vitória pela margem mínima, a nossa equipa mostrou-se sempre superior e com vontade de ganhar, rematando muito, embora nem sempre com a pontaria afinada.

O importante foi participar e nós, como bónus, tivemos uma vitória!

A minha passagem pela escola – 2006/2009

A minha passagem por esta escola foi toda ela mágica e especial… mas por outro lado. Neste momento, estou a sentir-me triste, ao pensar que nunca mais vamos estar juntos desta maneira, nunca mais vamos rir das piadas uns dos outros, nunca mais vamos estar presentes nos momentos de maior felicidade, mas também nos momentos de maior angústia e sofrimento… Não é  ser dramática, nem pessimista, mas tenho de me mentalizar “ que nunca mais nos vamos reencontrar”. Mesmo que combinemos jantares e encontros, vai haver sempre alguém que vai estar ausente. Nada vai ser o mesmo.

Eu admito que a minha primeira impressão desta escola, não foi muito agradável… Os alunos de Armamar não vinham para a Sé, iam para o Liceu. Até hoje ainda não consegui perceber o porquê, mas a verdade é que os complexos relativos a esta escola eram muitos.….  

O meu primeiro dia de aulas nesta escola constituiu uma má experiência, mal entrei no portão pensei para mim própria: “ Mas que serranos!”. Mas tudo mudou, passei a amar frequentar esta escola, passei a amar as pessoas que eu julgava serem serranos, passei até a amar os professores e os funcionários.

Por vezes, dou por mim, triste a pensar nesta nova fase da nossa vida…é tão mau… ter que me separar desta malta toda, eu sei que devia estar bastante contente porque vai ser uma nova etapa da minha vida, mas, por mais que tente, não consigo.

Só estou nesta escola há dois aninhos, mas aprendi bastante, e tudo que aprendi foi com eles. Com os meus amigos do 12ªA, com quem já chorei, com quem já me ri, com quem já gritei, com quem já me passei, também. Foi tudo tão excelente, ou melhor foi tudo mais que perfeito ! Obrigada a todos os meus amigos do coração, em particular aos do 12ºA. Sois demasiado especiais para mim!

Por mais que o tempo passe e que as dificuldades possam surgir, eu estarei sempre firme e forte, porque sei que posso contar com vocês. Sois um presente na minha vida! Sei que a nossa amizade é verdadeira. Para todas as amizades verdadeiras o tempo nunca passa, as distâncias nunca existem. Pois elas são eternas!

A vossa amizade é o ingrediente mais importante na receita da minha VIDA. Não posso ficar triste com uma despedida. As despedidas são necessárias para os reencontros.

 

E como diria o nosso amiguinho das aulas de Português: “Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!” Fernando Pessoa

Anabela, 12ºA

Torneio de Futsal – 28 e 29 de Maio

A passada quinta-feira, dia 28 de Maio, foi mais um dia do fantástico e grandioso, torneio de Futsal da Sé.

Como é óbvio, a nossa equipa “Das Trevas” que jogou, nesse dia, foi implacável e, deu “show de bola”, ganhando por três bolas a uma.

Já é habitual começarmos sempre a perder, mas como os nossos avós dizem: “Quem ri por último ri melhor”, nesse dia, fomos os últimos a rir.

Na nossa opinião, o primeiro e único golo da equipa adversária deveria ter sido anulado, visto que lesionaram o nosso redes, impossibilitando-o de chegar a essa bola.

O Miká voltou, mais uma vez, a fazer das suas, com dois golos fantásticos típicos deste nosso goleador.

Também o nosso colega Taveira contribuiu para esta grande vitória, fazendo um golo psicadélico que nos deixou a todos de boca aberta.

A partir do nosso terceiro golo, foi um jogo de “roer as unhas”, pois os nossos oponentes ficaram irritados e começaram a dar “nas canelas”. Mas o importante era a nossa vitória e com isso a possibilidade do apuramento para as meias-finais.

Mas, infelizmente, a nossa equipa não conseguiu apurar-se para a fase seguinte, pois perdemos por duas bolas a zero, no jogo de sexta-feira.

A verdade é que, nesse dia, a nossa equipa não conseguiu espalhar a magia a que nos habituou, em todos os seus jogos anteriores.

Agora, pomos toda a nossa esperança na equipa feminina, que irá jogar na próxima quinta-feira, dia 4 de Junho. Iremos dar todo o nosso “apoio moral” à equipa que já está na final, mesmo sem nunca ter tido um jogo (algo inédito!).

Com certeza que as “nossas” meninas não nos irão desiludir e vencerão este torneio!

Esperamos que tudo corra da melhor forma e, desde já, desejamos os parabéns antecipados a todos aqueles que se irão “sagrar” campeões, nas diversas categorias.

Boa sorte, a todos aqueles que ainda se encontram em competição.

 

Os vossos “cronistas” preferidos, Cristina Silva e Mauro Cardoso…

A minha passagem pela escola – 2003/2009

Já se passaram seis anos desde que vim para esta escola, por isso, para além de fazer parte da minha rotina, já faz parte da minha família.

Aqui conheci pessoas que se tornaram deveras importantes. Colegas, amigos, professores e funcionários que não esquecerei.

Os professores que me acompanharam e ajudaram a ser quem sou. Se hoje digo que sei alguma coisa, devo-o a eles. Os funcionários estiveram sempre prontos a ajudar. Os colegas foram essenciais para a minha vida escolar. Sem eles, a escola não teria interesse.

Esta escola funciona da melhor maneira e posso garantir que, aqui, tive anos de aprendizagem feliz.

Vou, sem dúvida, ter saudades e relembrar, para sempre, esta escola!

Obrigada por tudo!

 

Ana Catarina,  12ºA

A minha passagem pela escola – 2006/2009

Vim para esta escola no ano lectivo 2006/2007.

Quando fiz a transferência, esta escola não foi a minha primeira escolha e, sinceramente, quando soube que fiquei na Sé, fiquei desiludida, porque não me falavam bem dela.

Mas, passado pouco tempo, constatei que era uma escola espectacular, desde o ambiente, ao ensino, aos funcionários até às condições. Totalmente diferente do que estava habituada, de facto, era bem melhor que a minha antiga escola.

Consegui integrar-me muito bem, nunca tive qualquer tipo de problema na escola.

Apesar de só estar aqui desde o 10.º ano, já fiz amizades para toda a vida, cresci muito a nível intelectual, tornei-me uma pessoa diferente, para melhor.

Embora a turma não seja igual à inicial, pois saíram colegas e entraram novas pessoas, sempre foi uma turma excelente. Todos os professores gostavam e sempre foi bem vista pela escola.

Foram experiências únicas, as vividas com a turma A. Momentos que nunca serão esquecidos. As viagens de estudo, as aulas, os intervalos. A turma estava sempre unida!

Foram três anos, sem dúvida, muito bem passados! Obrigada a toda a “escola” por tudo que cá vivi.

 

Cátia Cardoso, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2006/2009

Efectivamente, a Sé não era a minha escola de eleição para seguir o Ensino Secundário. A minha escolha, desde início, foi a escola Latino Coelho.

A mudança de escola, em 2006, foi um processo muito difícil de ultrapassar. A ida para uma escola que não fora a minha escolhida, tornou-se um drama. A vontade de trabalhar era pouca. E os resultados estavam à prova. Mas foi no fim do segundo período que tive consciência que a minha atitude não estava a ser a mais correcta. No fundo, esta era uma escola fantástica. O apoio dos novos colegas, dos professores e também dos funcionários foi excepcional.

Praticamente todos nos conhecemos e poucas ou mesmo nenhumas são as rivalidades que nos separam.

Todos os professores estavam prontos a ajudar fossem ou não nossos professores, estavam sempre prontos a ajudar-nos.

Na verdade, vejo a escola como uma grande família, pronta a ajudar e a facultar todos os apoios possíveis.

Ao longo destes três anos, não foram apenas as experiências escolares que se tornaram importantes, as amizades também se tornaram inesquecíveis.

Adoro os meus colegas de turma. Foram e sempre serão pessoas especiais!

 

Carolina Pimentel, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2006/2009

Três anos…

 

Faltam apenas uns dias para o final das aulas. Já recordo esta escola com muita saudade.

O primeiro dia em que pisei esta escola foi um desastre! Não sabia onde ficava a sala onde iria conhecer a minha turma e acabei na turma errada. Era suposto ir para a sala do décimo ano e acabei na sala do nono! Para muitos, um presságio de que muitas peripécias iriam acontecer.

Felizmente, não estava só, tinha ao meu lado duas amigas que vinham de Armamar comigo e permanecem, ainda hoje, na minha turma.

O primeiro ano foi muito engraçado, fomos muito bem recebidos pela turma e por toda a Comunidade Escolar. Sem dúvida, esta escola é muito receptiva aos novos alunos.

Foi uma mudança brusca! Escola nova, amigos novos, alunos mais velhos! É lógico que as amizades que tinha há três anos, foram ganhando raízes, cresceram e muitas delas cresceram!

Foi, nesta escola, que vivi tristezas, algumas decepções, muitas dúvidas e grandes alegrias.

Todos os momentos passados, incluindo as danças no átrio da escola, as corridas, o estudo feito pela turma toda, o stress dos testes e dos exames, as greves em que participámos e todas as brincadeiras feitas. Em tudo isto, demos o nosso melhor! Sem dúvida, todos os professores da escola foram excepcionais, os funcionários incansáveis. Foram eles que mais aturaram os nossos devaneios!

Olhando para trás é, simplesmente, difícil referir tudo o que passei e vivi nesta escola!

Tenho orgulho em dizer que cresci, pessoal e intelectualmente, na “Escola Secundária/2,3 da Sé”!

Não é necessário enunciar nomes, porque todos os que me conhecem sabem que têm um lugar super especial no meu coração e embora todos escolhamos caminhos diferentes, posso afirmar que encontrei amigos para a vida e nunca os largarei!

Com muita sinceridade “Obrigada” à escola e a todos pelos fantásticos e maravilhosos anos que passei aqui!

Para todos um conselho: aproveitem todos os momentos que passarem nesta escola, em tudo o que fizerem dêem o vosso melhor!

 

Sandra Costa, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2003/2009

Eu entrei para esta escola no meu 7º ano. E já lá vão 6 anos. É muito tempo a frequentar a mesma escola. Mas não foi de bom agradado que vim para cá, pois, inicialmente, era para ir para outra escola. Mas ainda bem que assim foi. Frequento a melhor escola de sempre a todos os níveis. É claro que tem os seus defeitos, mas a qualidade supera qualquer aspecto menos positivo.

Mas, para mim, o que mais me vai ficar na memória relativamente à escola, edifício, será, sem dúvida, o magnifico jardim que possui, a biblioteca (local onde passei muito do meu tempo), o átrio e as excelentes condições de trabalho que a escola me pôde oferecer.

Os funcionários foram uns dos responsáveis por aquilo que sou hoje. Foram eles que me deram um raspanete quando me portava mal. Foram fundamentais na minha educação. E eu agradeço-lhes muito por isso. É claro que há funcionários com quem me dei melhor, mas penso que todos foram do meu agrado. Não houve ninguém que me desiludisse. Um muito obrigado a todos eles.

Os professores que eu tive, ao longo destes anos todos, serão igualmente recordados por mim para sempre. É claro que há uns que me marcaram mais do que outros (como é normal). Mas eu penso que eles foram, também, uns dos responsáveis pela pessoa que sou hoje. Eles acompanharam-me durante muito tempo. Passei com eles muitas horas. Eles fizeram, e fazem, parte integrante da minha vida. Nunca me esquecerei deles. Ensinaram-me e souberam incentivar-me, da melhor maneira, foram eles que me ajudaram, até, nos meus problemas pessoais. Um muito obrigado a todos eles. Serão sempre, para mim, a minha segunda família.

Agora vou falar das pessoas mais importantes da minha vida, além da minha família, … os meus amigos. Ao longo destes anos, conheci muitas pessoas. Umas que me marcaram mais que outras. Não se consegue agradar a todos. Mas eu só vou falar daqueles que mais me marcaram. Entre eles, os colegas de turma como é óbvio, não só os deste ano, mas também dos outros anteriores, e ainda uma pessoa muito especial para mim.

Primeiro vou falar dos meus amigos, em geral. Foram espectaculares para mim. Foram eles que me apoiaram em muitos momentos difíceis da minha vida. Por isso, queria, desde já, agradecer a todos. Estarão sempre no meu coração. Por todos os momentos que passámos juntos. Foram eles que me acompanharam durante estes anos todos. Foram fundamentais em muitas etapas da minha vida. Ajudaram-me sempre que precisei, sempre que lhes pedia algo, eles nunca recusaram. Eles sabem que, também, podem contar comigo. Estarei sempre lá, sempre que puder. Fazer amigos verdadeiros não é fácil, mas eu penso que, ao longo destes anos todos, criei muitas amizades que eu nunca me vou esquecer. Fiz amigos verdadeiros, daqueles que estarão sempre no nosso coração. Fiz amigos que sei que vão estar sempre do meu lado. Eles sabem que eu nunca os esquecerei…

Agora vou falar sobre uma pessoa muito especial para mim.

Essa pessoa, se ler isto, de certeza que saberá de quem estou a falar. Somos amigos há muito tempo, mas penso que foi, nesta escola, que o nosso relacionamento evoluiu. Ela é uma das pessoas mais importantes da minha vida. A melhor das amigas, a melhor amiga que alguém pode ter. Ela ajudou-me em muito momentos da minha vida. Tu sim, és uma amiga verdadeira, uma amiga que só se tem uma vez na vida, uma amiga única. Obrigado por fazeres parte da minha vida ao longo destes anos todos que passámos juntos nesta escola e fora dela. Gosto muito de ti…

 

Ricardo Micael Cardoso, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2006/2009

Já passaram três anos! Parece que foi ontem que pisei, pela primeira vez, os paralelos irregulares desta escola, que conheci cada recanto e que descobri este novo mundo, a Escola Secundária/2,3 da Sé.

O tempo passou… com ele passaram amigos, professores, funcionários, aulas, matérias. Foram vividos momentos inesquecíveis que, jamais serão esquecidos e que nos fazem esboçar sorrisos. Jamais me esquecerei dos meus primeiros paços como artista. Quatro aventureiros partiram rumo à aventura… foi-nos proposto apresentar a festa de Natal da escola e logo eu, Énia, juntamente com a Preciosa, a Cristina e o Roberto (antigo colega de turma) nos oferecemos para interpretar esse papel. Os nervos eram grandes, pois não é todos os dias que temos uma plateia tão grande e especial a olhar para nós. A aventura começou e tudo corria bem. Até ao momento em que me dirigi ao micro e disse “Por favor, façam pouco silêncio!”. Foi a risota geral, no “palco” e na plateia.

Levo desta escola, uma fantástica recordação. A passagem foi breve, mas as pessoas tornaram-na grandiosa e extraordinária.  

A esta turma, agradeço tudo o que me proporcionaram: a amizade, a união, a solidariedade e o afecto. Seremos sempre a turma A, a primeira de todas, a das “trevas”!

Aos professores, obrigada por tudo o que me ensinaram. Assumi esta escola como se fosse a minha casa.

Tudo valeu a pena e não vale a pena despedirmo-nos porque as coisas boas do passado ficam sempre connosco. Até sempre Escola da Sé!

 

Énia Lamelas, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2003/2009

Andava eu na Escola Primária nº2 de Lamego e já tinha o desejo de vir estudar para a Escola Secundária/2,3 da Sé. O recreio da minha escola primária ficava ao lado do recreio desta escola e eu, durante muitos intervalos, espreitei os alunos mais velhos e mais crescidos.

Tendo passado dois anos após ter saído da escola primária, chegou a altura de escolher uma escola para iniciar o 3º ciclo. Sempre que me perguntavam qual a escola que estava a pensar escolher eu dizia: a Sé. Mas logo vinham professores e colegas dizer-me que, nesta escola, só havia más pessoas, que era uma má escola e que o Liceu é que era bom. Que lá iria ter um bom percurso escolar. Apesar da maioria dos meus amigos ter escolhido o Liceu eu nunca mudei de ideias quanto à Sé e, no 7º ano, cá estava eu, sem arrependimentos.

Lembro-me que, no meu primeiro dia de aulas, visitei a escola, conheci alguns professores e fiz novos amigos.

Fazer o 3º ciclo não custou nada e correu tudo muito bem. Gostei de quase todos os meus professores, alguns deles são ainda muito meus amigos, gostei também de algumas disciplinas, já de outras como Geografia e História não apreciei tanto. Do 7º até ao 9º ano, o número de turmas foi diminuindo e eu que tinha começado o 3º ciclo na turma F do sétimo ano, acabei-o na turma D do 9º ano. Devido ao número decrescente de turmas, a minha turma tinha sempre novos alunos todos os anos, o que me permitiu conhecer e fazer amizades com muitas mais pessoas.

Acabou o 3º ciclo e uma grande decisão tinha em mãos: ou seguia o curso de Artes e mudava para o Liceu, ou continuava na Sé e seguia o curso de Ciências e Tecnologias. Como teimosa que sou e como não consegui passar por cima do amor que tinha e continuo a ter por esta escola, optei por cá ficar, desistindo assim do sonho de seguir Arquitectura. Nunca me arrependi da escolha que fiz.

Vinha aí um novo capítulo da minha vida: o Secundário.

Estava eu em férias quando recebi uma triste notícia: tinham-me separado da minha antiga turma e estava noutra turma com novas pessoas. Desconhecidos.

Fiquei muito chateada. Não entendia porque me tinham feito tal coisa, mas mal começaram as aulas apercebi-me que fora o melhor que me tinha acontecido. Posso ter deixado os meus amigos de há seis ou doze anos, mas eles nunca me abandonaram e continuámos amigos. Por outro lado, conheci pessoas maravilhosas que mudaram a minha maneira de pensar e toda a minha vida.

Fiz amigos para a vida, tive momentos que nunca esquecerei como as viagens de estudo, os almoços, os jantares, as festas…

O ano que mais me marcou foi este, o 12º. Foi este o ano que vivi os momentos mais intensos, mas também será com esta turma que viverei os últimos momentos. Não com colegas, mas com amigos.

Agradeço, a todos os meus amigos e professores, a pessoa que sou hoje e tudo o que passei! Até sempre, 12ºA!

 

Daniela Alexandra Batista Pinto, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2003/2009

Como vim da Suíça, o meu primeiro dia de aulas, nesta escola, foi difícil, tudo era diferente, nada era igual, tudo era desconhecido. A começar pela educação, achava toda a gente mal-educada, mas aos poucos, fui-me integrando e fazendo amigos. E uma das coisas que mais gostei na escola foram os espaços verdes, pois, sempre que não tinha aulas, desfrutava deles com os amigos.

Lembro-me que quando olhava para os alunos do 12ºano achava-os grandes, velhos e pensava como seria eu naquela altura. Agora, não só não me acho grande, como também não me acho velha, acho que estou no “ponto alto” da minha vida.

Todas as turmas que tive, até hoje, foram especiais, e em todas vivi bons momentos e fiz amigos. Torna-se engraçado quando encontrámos colegas de anos anteriores e começámos a relembrar velhos momentos.

No entanto, a minha passagem pela escola está por um fio… e nunca esquecerei tudo o que passei, com os colegas e com os professores.

Este ano e o 8º foram os anos que mais me marcaram. O 12º foi, no entanto, o mais especial de todos. O relacionamento e a cumplicidade que se desenvolveram, ao longo do ano, entre os colegas, foram muito maiores. Isto aconteceu graças à viagem de estudo, à semana e à viagem de finalistas. Nunca os esquecerei!

Mesmo que vocês se esqueçam de mim, eu nunca me esquecerei de nenhum de vocês!!  Vou ter muitas saudades vossas ….

Estão e estarão sempre no meu coração e pensamento!!!

 

Ana Josefa Pinto Dias, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2003/2009

Os melhores seis anos da minha vida! Lembro-me como se fosse hoje, a primeira vez que entrei nesta escola. De início, a primeira impressão que tive foi muito boa, pelo menos parecia ter boa aparência e um bom ambiente. Essa impressão confirmou-se.

Foi e será a escola que me marcará mais, ficará sempre na minha memória!

Os momentos que vivi foram tantos, tão bons e tão intensos que se tornaram inesquecíveis.

Devo estas alegrias aos professores, aos funcionários, aos meus amigos, à minha turma que me acompanharam desde o 7º ano. São quatro os colegas que me acompanharam desde sétimo ano (Ricardo, Tiago, Mauro e Cristina). São estas quatro pessoas e mais alguns colegas que fizeram parte dos melhores anos da minha vida.

Foram, são e sempre serão os melhores anos da minha vida!

Ficarei, eternamente, agradecida a esta escola pela a hospitalidade, pelo conforto, pelos valores que me transmitiu e pela boa educação que me deu, ao longo destes seis anos. Mas, principalmente, o meu maior agradecimento vai para a turma do 12º A, foram eles que me ajudaram a ser o que sou hoje. 

São recordações que nunca vou esquecer.

Até sempre Escola Secundária 2,3 / da Sé – Lamego.

           

Marina Oliveira, 12ºA

A minha passagem pela escola – 2005/2009

Foi há quatro anos… Há quatro anos descobri um mundo novo, onde todos eram mais que conhecidos, mais que colegas, eram uma família!

Vinha de uma escola privada, com menos de metade das salas, menos de metade de pessoas, e, de repente, vejo-me rodeada de pessoas totalmente desconhecidas.

Lembro-me como se fosse hoje. Vinha super nervosa, não conhecia nada nem ninguém. O meu irmão e o meu primo andavam comigo para me mostrar o mínimo, porque o resto teria de ser eu a descobrir.

A minha primeira impressão: “Quero ir embora!”, mas hoje, penso totalmente ao contrário. Custa pensar que daqui a poucos dias tudo vai ficar para trás. Os amigos, os professores, as funcionárias, a própria escola.

Passei momentos indescritíveis nesta escola. Não cresci só fisicamente desde o primeiro dia que aqui entrei. Emocionalmente, cresci imenso. 

Tenho plena consciência que sempre que passar por aqui me vou relembrar de todos os momentos, de todas as pessoas que, de certa forma, me marcaram.

Não nego que, várias vezes, desejei sair daqui, mas agora que realmente sei que, se tudo correr bem, vou sair, sinto uma melancolia enorme. As saudades já existem e ainda não fui embora.

 De que vou sentir mais falta? De tudo, mas principalmente da turma, que apesar de alguns contratempos, sempre foi unida e alegre. Vou sentir saudade daqueles “bons dias minha gente”, dos “até amanhã, amor!” (sim, porque as relações criadas nesta escola são de tal forma intensas, que até de amor nos cumprimentamos). Aqueles momentos de riso total que começavam por coisas sem sentido nenhum e acabavam com todos a chorar de tanto rir, aqueles almoços de turma, aquela ligação que nenhum de nós quer quebrar, ficarão para sempre no meu coração!

No que diz respeito à escola, edifício, é sem dúvida das melhores que conheço. Tem condições espectaculares e o jardim que a rodeia é simplesmente lindo!

Será sempre “aquela” escola que me ajudou a ser o que sou.

Para sempre no meu coração, a escola e as pessoas! (como em tudo, há sempre alguém mais especial que outros, eles sabem quem são e vão ficar sempre como “irmãos”).

Não vejas a escola como um aborrecimento, um dia, vais sentir saudades…      

 

Liliana Vaz, 12º A