Abril 2008

You are currently browsing the monthly archive for Abril 2008.

O texto narrativo

Das observações realizadas esta semana nas sessões tutoriais, a maior parte dos colegas formandos optou por trabalhar o texto narrativo. Notei que tanto os professores como os alunos das várias turmas se encontravam bastante motivados para o trabalho em causa, pois o ponto de partida  era aliciante e atractivo, uma vez que, como proposta de trabalho, se fazia a apresentação de uma “menina”e a respectiva comparação entre as diferentes partes do corpo humano, cabeça, tronco e membros  e as diferentes partes do texto narrativo, introdução, desenvolvimento e conclusão.

Além destes elementos acrescentámos os adjectivos  cuja finalidade é enriquecer o texto comparando-os às flores colocadas no vestido da menina que servem para o embelezar. Verifiquei que  compreenderam a mensagem que se pretendeu passar aos nossos alunos e obedecendo à planificação das fases do texto narrativo, esperámos que futuramente eles sejam capazes de escrever e criar os seus próprios contos com maior motivação e um melhor desempenho.

A aprendizagem da escrita é um processo longo e lento que traz implicações para a acção do professor.

Assim, este terá de intervir ao nível do processo e do contexto. Ao nível do processo, para desenvolver as competências e conhecimentos  implicados na escrita. Ao nível do contexto para facultar o contacto com textos cultural e socialmente relevantes com acesso às suas múltiplas funções.

Poderoso meio de comunicação, a escrita serve para preservar a nossa memória através dos tempos, dado o seu carácter perene. O contacto precoce com a escrita favorece o desenvolvimento e a aprendizagem desta, pelo que desde cedo se deverá incentivar o seu uso, mostrando às crianças que através da escrita poderão aceder ao conhecimento e à transmissão deste. É, pois, necessário que os professores levem, também, esta mensagem até junto dos seus alunos, incentivando a aprendizagem da escrita através de práticas que diversifiquem a sua utilização, atendendo aos diferentes contextos e objectivos.

O valor da escrita

Quando pensamos que escrever é “coisa” fácil é puro engano. Quantas competências são activadas durante o processo de escrita?!

Desde a escolha do assunto a desenvolver, passando pela selecção e organização da informação, pela escolha das palavras mais adequadas ao conteúdo, pela correcção sintáctica e ortográfica, tudo é decidido pelo escrevente.

A aprendizagem da escrita é, pois, algo que merece uma atenção cuidada…

« Older entries